Como o Yoga ajuda você a desenvolver a autocompaixão ao começar algo novo

Ao longo da vida, à medida que nos deparamos com desafios, começamos a buscar mais conhecimento sobre como cuidar de nós mesmos, como entender quem realmente somos e como viver uma vida alinhada com o que nos ilumina. Sabemos que, para nos sentirmos bem e realizados, precisamos ter acesso a ferramentas, habilidades e experiências que darão suporte ao nosso corpo, mente e espírito. Somos atraídos pelo yoga — não apenas as posturas, mas todos os oito membros do yoga — sabendo que pode melhorar nossa saúde, nos ajudar a enfrentar os desafios que enfrentamos e apoiar nosso despertar.

Sabendo disso, é tentador mergulhar de cabeça em novas práticas, fazer tantas mudanças de vida quanto possível e esperar resultados rápidos. No entanto, à medida que iniciamos novas práticas, aprendemos novas filosofias e experimentamos ajustar nosso estilo de vida, é muito importante seguir um ritmo adequado e lembrar da autocompaixão. Através das lentes do yoga, podemos examinar a autocompaixão como o companheiro necessário em nossa jornada mais importante para a autoconsciência.

Yoga Sutra

Os yoga sutras atribuídos a Patanjali formam um dos textos fundamentais para os iogues. Os sutras podem ser descritos como aforismos, observações sábias e conselhos escritos em sânscrito para o desenvolvimento espiritual. O primeiro sutra introduz que é hora da disciplina de yoga. O segundo sutra resume a prática: “yogas chitta vritti nirodhaha”. Quando dividimos as palavras do segundo sutra para tradução, temos:

Chitta: mente;
Vritti: modificações da mente;
Nirodhaha: controlar, usar a disciplina.

Este sutra nos diz que a prática do yoga é reconhecer as modificações, ou agitações, da mente e não ser influenciado por elas. A mente gera todo tipo de interpretações, histórias e significados que distorcem a realidade. A yoga nos ensina a ficar atentos a essas modificações e a fazer uma pausa antes de permitir que elas ditem o que acreditamos ou como agimos. Através das posturas físicas e dos outros membros do yoga, somos capazes de perceber e observar nossos pensamentos e reações, e então podemos fazer uma pausa para questionar essas reações antes de agir de maneiras das quais podemos nos arrepender mais tarde.

Uma maneira muito comum de a mente criar modificações é o autojulgamento. Na verdade, a autocrítica é tão comum que pode ser difícil de detectar. A conversa interna negativa pode se parecer com:

• Eu deveria parar de tomar café.
• Eu deveria ter ido para a academia esta manhã.
• Eu não sou bom em meditação.

Você consegue pensar em algumas das maneiras pelas quais você fala negativamente consigo mesmo? Uma maneira de perceber uma conversa interna negativa é observar se você usa “deveria”, como nos exemplos acima. “Deveria” é muitas vezes parte do auto-julgamento. Além disso, preste atenção em como você fala consigo mesmo no início da manhã, quando está se vestindo e se preparando para o dia. Muitas vezes, nesse espaço tranquilo, a mente tem muito a dizer. E, finalmente, pergunte a si mesmo o que o impede de tentar algo que você realmente quer fazer, seja uma prática de yoga, uma nova maneira de cozinhar ou um novo curso. Você pode descobrir que há uma conversa interna negativa que o impede.

Yoga está liberando crenças limitantes

A palavra yoga vem da palavra raiz “yuj”, que significa jugo. Yoga é a união de quem somos no corpo físico com quem realmente somos como pura consciência. Nossa mente e as histórias que ela nos conta podem nos fazer sentir separados, quebrados e sozinhos. Através da prática do yoga, podemos testemunhar esses pensamentos, fazer uma pausa e explorar a maior consciência de quem realmente somos: inteiros, bem e conectados.
Quando permitimos crenças limitantes sobre nós mesmos, estamos distorcendo a realidade de quem somos. Isso pode afetar nossa capacidade de avançar com quaisquer práticas de apoio que queremos começar. À medida que começamos a reconhecer nosso potencial, a autocompaixão nos permitirá ser pacientes, desacelerar e estar presentes com tudo o que surgir.

Nosso potencial infinito

Entre as muitas citações de inspiração de Deepak Chopra , ele disse: “Você é um ser espiritual tendo uma experiência humana. Você não é um humano tendo uma experiência espiritual.” Lembrar disso nos ajuda a ter compaixão por nós mesmos e como nos mostramos ao fazer o nosso melhor para navegar nessa experiência humana. Isso nos lembra que temos um potencial infinito, e o que está em nosso caminho é nossa incapacidade de lembrar que isso é verdade. O autojulgamento obscurece nossa capacidade de ver claramente.

Se você estiver tendo problemas com a autocompaixão, uma das práticas que você pode tentar é a meditação da bondade amorosa. Outras maneiras de cultivar mais autocompaixão são desfrutar de rituais nutritivos de autocuidado, como automassagem, cozinhar de acordo com a estação e dedicar mais tempo para meditação e respiração.
Ao cultivar mais autocompaixão ao a03ssumir novas práticas, você poderá notar os resultados de sua dedicação sem pressionar, forçar ou atrapalhar. Em vez disso, você verá que cada pequeno passo faz a diferença.

Compartilhe

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on linkedin
3

Quer receber uma leitura aprofundada sobre o signo do mês?

Inscreva seu email em nossa newsletter para receber informações preciosas sobre o arquétipo do signo do mês e descubra como se beneficiar da energia que este astro está proporcionando.



    Expresse seus comentários aqui

    Leave A Comment

    Conheça a Itree

    Acreditamos que seu poder tem origem em reconhecer quem você é. Nosso propósito é encorajar as pessoas a se conhecerem profundamente para se expressar com autenticidade em tudo que fazem em suas vidas.

    Somos uma plataforma de autoconhecimento e bem-estar que utiliza os florais alquímicos, a astrologia médica e alquímica, a prática de yoga e a mudança dos hábitos alimentares como caminho de transformação pessoal.

    Você também pode gostar